Flores silvestres

Foto: Ítalo Lopes da Rocha.

Existem flores em todos os lugares do mundo. Elas não precisam ser delicadas. Elas podem encontrar seu próprio caminho para obter água, luz e nutrientes para florescerem em toda sua magnificência e compartilhar seu delicioso aroma com o quem elas bem entenderem.

Às vezes a natureza dessas belas flores pode ser ferida. Eu vim aqui para lhes contar sobre um episódio interessantíssimo. Ele começa quando o macaco que estava balançando em torno das árvores, de galho em galho, encontrou uma orquídea seca no caminho. Ela era tão bonita, mesmo estando doente, que o macaco teve de ir correndo ao rio para pegar água e hidratá-la um pouco. E foi assim o início de uma forte amizade.

O macaco ia visitar sua amada amiga todos os dias, ele gostava de mostrar a todos a importância que sentia ao trazer água para uma flor tão bonita. Eles conversavam horas, sobre um monte de coisas. O macaco até dizia como sua vida era triste e sem sentido antes de conhecer a flor, mas agora ele poderia se sentir muito mais forte e poderoso. A flor concordava, ela também estava muito triste e doente antes de conhecer o macaco, ela quase sentiu o frio da morte vindo em sua direção!

Mas não demorou muito e a flor não conseguiu aguentar mais tanta água, então ela pediu ao macaco para deixá-la enfrentar o Sol novamente, pois o macaco insistia em a proteger, para que isso não acontecesse. Ouvir esse pedido foi algo muito triste, e até um pouco doloroso, para o macaco. Ele tinha certeza de que sabia o que a flor precisava! Como ele poderia deixar a flor enfrentar o Sol se isso significava que ele precisaria deixá-la sair de sua área de proteção? Mas tudo bem, ele sabia que a vontade da flor deveria ser respeitada.

Foto: autor.

Na manhã seguinte, ele não foi correndo (“proteger” e) conversar com a orquídea, mas fez um esforço para não sufocá-la e foi a procura da abelha para uma conversa. A abelha era conhecida por ser muito esperta e amar as flores! O macaco contou-lhe o que estava acontecendo e quis ouvir a sua opinião.

Ela disse a ele o quão forte a flor poderia ser e quão profunda eram as suas raízes. Ela disse também que a orquídea não iria morrer sem o macaco, mas estava apenas enfrentando o período seco do ano, quando a flor poupava suas forças, para poder novamente florescer forte na próxima estação.

– Não! — disse o macaco — A flor está doente! Eu sou o único a ajudá-la! E eu sou importante por causa disso!

O macaco estava bravo com a abelha, não podia acreditar que ela disse que sua ajuda era irrelevante! Logo o macaco, um dos animais mais inteligentes da redondeza, capaz de manusear um monte de mecanismos, até mesmo para trazer a água do rio para a flor! A abelha não poderia fazer isso! Ela deveria estar com ciúmes! Só pode ser esse o motivo para tantas asneiras! Assim, o macaco foi encontrar a sua querida orquídea.

A flor estava ainda mais bonita, ela quase podia brilhar como o crepúsculo trazendo um céu todo estrelado. O macaco queria dizer a ela como a abelha era estúpida, mas a orquídea falou primeiro:

– Oh, macaco! Veja! O sol foi tão bom para mim! Eu estou florescendo para todos os lados! Acho que era normal, pois parece que durante alguns meses do ano, todos os anos, as orquídeas ficam “doentes” e sem flores. Mas agora eu estou forte novamente!

O macaco estava triste. Ele não podia acreditar, ele tinha tanta certeza de que era graças à sua ajuda que a flor estava se tornando mais forte… Ele ainda não conseguia acreditar que poderia estar errado, a única saída era mostrar a verdade à flor, pois só assim ela o amaria de novo.

Então ele teve uma idéia! Ele iria mostrar à abelha, e todo mundo, que a flor precisava dele!

O primata trouxe um copo de vidro, para concentrar a luz do sol e acelerar o que o Sol estava fazendo com a flor — então sua água seria necessária novamente!

Ele esperou pelo primeiro raio de sol, enquanto a flor ainda estava dormindo.

A orquídea acordou gritando, algo a estava machucando!

– Ooooh! O que é isso? Socorro! Macaco, macaco! Eu preciso de ajuda! O Sol está me machucando!

O macaco ficou feliz em ouvir isso, mas ele disse à flor:

Estou apenas acelerando o que o Sol estava fazendo com você e mostrando que ele não era bom para você, mas eu nunca iria machucá-la.

– O quê? É você? — perguntou a orquídea — Pare, por favor! Isso dói!

E o primata parou, mas não antes de machucar a flor, mesmo sem ter sido essa a sua intenção.

A abelha, que já estava trabalhando ao redor das flores lá perto, voou para ajudar a orquídea. A abelha não podia acreditar no que aconteceu, ela sabia que o macaco amava a flor e não conseguia imaginar que ele pudesse a machucar.

– Oh, macaco, você precisa deixá-la florescer sem se intrometer. Vocês serem são fortes sozinhos e essa força é multiplicada quando estão juntos. Quando as flores compartilham o seu pólen e permitem que eu o transporte, elas crescem felizes e saudáveis. Essa é a mágica de compartilhar com o próximo, mesmo sabendo ser ele um ser independente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *