[Apenã #008] Harvard, Vale do Silício, Empreendedorismo e Volta pra casa – Deborah Alves

Há poucas semanas tive o prazer enorme de conversar com a Deborah Alves. A conheci em um evento da BRASA, a BrazUSC 2017, onde ela foi inclusive homenageada. A Deborah esteve a frente de alguns movimentos de brasileiros no exterior que cresceram bastante, como o BSCUE e a BRASA, envolvidos com o fortalecimento dos grupos de brasileiros fora do Brasil, com interesse em fazer impacto no país de origem.

A Déborah estudou Ciência da Computação em Harvard, participou da IMO, Olimpíadas Mundiais de Matemática, (como inclusive falou pro G1), trabalhou no Vale do Silício e voltou para o Brasil para empreender. Ou seja, tem uma experiência incrível!

Na Brazil Conference, evento que contou com a participação de grandes nomes como Lemann, Haddad, Moro e Rousseff, na Universidade de Harvard. Arquivo pessoal.

Claro, ela contou pra gente um pouco de todas essas experiências, como foi estudar em Harvard, o que ela mais destaca de lá; como foi trabalhar no Vale do Silício, o ambiente tão inovador e referência mundial para todos os empreendedores; como tem sido o novo desafio, o ambiente da tecnologia em sp, os prós/contras do empreendedorismo e muito mais!

Com a galera da Quora, empresa do Vale do Silício onde ela trabalhou.

É sempre ótimo conversar com uma pessoa como a Deborah, que tem tanto a dividir com a gente e parecem tão abertas para esse compartilhar. Só posso recomendar ouvirem com muito carinho essa conversa com essa pessoa maravilhosa! ❤

Nos fale o que você achou desse texto deixando um comentário!
Nos encontre também nas redes sociais pelo 
Facebook ou Twitter
O nosso Podcast de entrevistas você encontra no 
SoundCloudDeezere outros apps
Fale com a gente pelo Telegram ou e-mail
E o feed para você acompanhar todas as entrevistas é 
esse

[#007] Cuidado com o Neocolonialismo — Tereza Prado

Eu já estava ansiosa para dividir essa entrevista. E nem acredito que demorei tanto a postar sobre ela por aqui. Parece ser uma daquelas coisas que você sempre quer que fazer perfeitamente e vai deixando pra depois — é muito raro termos tempo para fazer o texto perfeito. — Por isso, vou prometer textos mais elaborados para falar sobre os temas (que eu considero bem complexos) abordados nessa conversa.

A complexidade de cada local é contrária a nossa vontade de simplificar e de achar que “a grama do vizinho é mais verde”. A verdade é que cada região tem o que nos ensinar e o que aprender com a gente. Nessa entrevista, com uma psicóloga brasileira que mora em Sarre, na Alemanha, conversamos um pouco sobre a vida por aqui, (acho que a maioria de vocês sabem que estou morando na área do Ruhr), inclusive sobre traumas da guerra, questões de gênero, maternidade, alcoolismo, etc. E (importante!) lembramos o quanto é delicado pensarmos que a cultura de países desenvolvidos é melhor que a nossa.

É bom lembrar que não estamos apontando uma região “mais” ou “menos” machista, mas citamos alguns dados e vemos que o machismo pode se apresentar de várias formas.

Alguns links relacionados:
Partidos proibidos na Alemanha (em alemão): de.wikipedia.org/wiki/Parteiverbot
Relatório sobre a população alemã (em alemão): www.destatis.de/DE/Publikationen/…b=publicationFile
Relatório do ILO (International Labour Organization, em inglês): www.ilo.org/gender/Informationr…/lang–en/index.htm
Texto sobre questões de gênero na França: cientistasfeministas.wordpress.com/2017/05…ndente/

Nos fale o que você achou desse texto deixando um comentário!
Nos encontre também nas redes sociais pelo 
Facebook ou Twitter
O nosso Podcast de entrevistas você encontra no 
SoundCloudDeezer e apps!
E o feed para você acompanhar todas as entrevistas é 
esse!